O Site da Noiva responde tudo aquilo que você sempre quis saber sobre a sua entrada triunfal na igreja.

O Site da Noiva tem recebido inúmeras perguntas sobre como deve ser o cortejo quando os pais são separados, falecidos ou quando se perde o contato. A cerimonial Dulce Menezes responde as principais dúvidas agora.

O pai da noiva faleceu – Para esta situação existem duas saídas: entrar sozinha ou escolher alguém que esteja à altura de seu pai. Isso significa que você poderá escolher alguma pessoa que você considere tão importante como o seu pai. Você pode chamar um irmão, tio, avô, padrinho de batismo ou alguém que represente a figura paterna.

O que não deve acontecer é entrar com alguém com quem você não tenha essa ligação, daí é melhor entrar sozinha mesmo.

A mãe da noiva faleceu – Aí temos três soluções. A noiva pode escolher alguém para entrar com o pai do noivo ou  a própria família do noivo pode fazer isso. Há ainda casos em que o noivo entra acompanhado tanto da mãe como do pai.

Pai do noivo faleceu –  A regra é a mesma aplicada quando a mãe da noiva faleceu. Isso quer dizer que o noivo pode chamar alguém para entrar com a futura sogra ou a noiva escolhe alguém da sua própria família para acompanhar a mãe. A noiva só pode entrar ladeada pelos pais quando o corredor da igreja for bem largo, afinal são três pessoas e um vestido.

Mãe do noivo faleceu – O noivo pode entrar sozinho ou acompanhado de alguma pessoa que transmita o mesmo afeto que a mãe. Neste caso, o noivo deve pensar que tal pessoa é como se fosse minha verdadeira mãe.

Noiva não conversa com o pai – A noiva não tem a obrigação de entrar com o pai. Ela pode escolher um tio, avô ou um irmão.

Pais separados que se dão bem – Eles podem permanecer juntos no altar sem problemas!

Pais separados que não se suportam – Quando os pais são separados e não conseguem permanecer lado a lado, o pai da noiva deve levá-la até o altar e sentar no banco. A mãe tem o privilégio de ficar no altar. Você ainda pode optar por um irmão que seja filho do seu pai. Daí neste caso a mãe não permanece sozinha, o filho faz companhia. Lembre-se que a igreja católica não permite que o padrasto acompanhe a mãe no altar pois o catolicismo não é a favor da separação. O mesmo vale para o noivo.

Consultoria:
Por Dulce Menezes Cerimonial