Nascido na Itália e adotado pelos franceses no século 16, o macaron chegou ao Brasil há somente uma década. Nos últimos tempos começou a ganhar fama nos cafés, patisseries e em eventos especiais como as festas de casamento.

Com formato de pequenos discos, crocantes por fora e macios por dentro o macaron é uma criação da Veneza renascentista, conhecido inicialmente como “Macherone”, devido a sua massa fina, alcançou grande reputação na França, onde aportou com a comitiva de Catarina de Médicis, por ocasião de seu casamento com o Duque de Órleans, futuro rei da França.

A receita, à base de farinha de amêndoas, açúcar e claras de ovos, permaneceu secreta e restrita à nobreza até ser descoberta por uma congregação de irmãs carmelitas, na cidade de Nancy, situado no nordeste francês. Inicialmente servido somente como um pequeno biscoito fino, o macaron recebeu a sua versão final no início do século 19, através das mãos do patisseur Louis Ernest Ladureè, que uniu os dois pequenos discos colocando entre estes cremes especiais. Hoje podemos encontrar macarons com recheio diversos como limão, chocolate, baunilha, framboesa entre outros, sendo que em um casamento a quantidade indicada do produto fica em torno de dois ou três unidades por pessoa.

Podendo ser feito em inúmeras cores e recheios, a delicadeza do macaron, aliado à sua beleza, vem sendo cada vez mais requisitado nas recepções de casamentos onde pode ser encontrado na mesa de doces, na mesa de fechamento ou mesmo ainda podendo ser utilizado como um substituto ao bem casado.

Por Paulo Trevisani
Chefe de Cozinha da  Bárbara Trevisani Doces Finos

COMPARTILHAR