Um símbolo de união que nunca sai de moda

A aliança (em forma de anel) surgiu entre os gregos e os romanos, provavelmente vindo de um costume hindu de usar um anel para simbolizar o casamento. Os romanos acreditavam que no quarto dedo da mão esquerda passava uma veia (veia d’amore) que estava diretamente ligada ao coração, costume carregado culturalmente até os dias de hoje.

No início a aliança era tida como um certificado de propriedade da noiva, ou de compra da noiva, indicando que a mesma não estava mais apta a outros pretendentes. A partir do século IX, a igreja cristã adotou a aliança como um símbolo de união e fidelidade entre casais cristãos.
Muitas crenças nasceram então, como exemplo do fato de que os escoceses dizem que a mulher que perde a aliança está condenada a perder o marido.

Os anéis podem ser reproduzidos com a fusão de material metálico, como aço, ouro e prata, podendo fundi-los numa mesma peça, e podem ser compostos por diferentes materiais como pedras preciosas ou semelhantes. Os desenhos usados variam de acordo com a cultura e são modificados ao longo do tempo…

Os anéis de casamento são usados pelos noivos na cerimônia de casamento religioso ou civil, por diversas culturas. Costuma-se fazer a troca dos anéis no momento final desta cerimônia. Os noivos colocam no dedo da mão esquerda os anéis, simbolizando assim a união matrimonial.

Anel de compromisso ou aliança de compromisso é um anel de prata ou aço utilizado por casais de namorados no Brasil, e cada vez mais utilizado em outros países, como Portugal e outros, para demonstrar fidelidade e seriedade do namoro.

A aliança do homem tem o nome da mulher e a data do início do namoro gravada e vice versa. Alguns preferem gravar os dois nomes em ambas, seguidos da data.
Alianças de compromisso são usadas no dedo anelar da mão direita e, na ocasião do noivado, substituídas pelas alianças de noivado.